Advogado de Adélio Bispo não será mais investigado pela PF, decide a Justiça

Na quinta-feira, 28, Néviton Guedes, desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª região, suspende a apuração da investigação de busca e apreensão contra Zanone Manuel de Oliveira Júnior, advogado de Adélio Bispo, culpado pelo esfaqueamento do então candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro.

O pedido de cancelamento das investigações foi feito pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, sob pena de anulação de provas se as análises continuarem.

Recibos de pagamentos de honorários, o aparelho telefônico de Zanone e um livro-caixa são algumas das provas encontradas pela PF para prosseguir na investigação. Mas não serão mais analisadas.

Néviton citou o direito do advogado, previsto em lei, de não ter seu espaço profissional violado. Entretanto, a PF afirmou que a decisão dificulta a investigação da possibilidade de um mandante estar envolvido no atentado contra Bolsonaro, em setembro do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: