APEOC parte para a defesa do professor doutrinador

O Sindicato dos Professores e Servidores da Educação e Cultura do Estado e Municípios do Ceará – APEOC, representado pelo seu presidente Anizio Melo, protocolou ontem no Ministério Público um pedido de apuração de supostos casos de ameaça ao professor Euclides de Agrela. O professor foi apelidado de Euclides Agride depois que foram divulgados dois vídeos nas redes sociais que mostra o professor, visivelmente descontrolado, coagindo e expulsando de sala de aula um dos seus alunos. O que fez o professor Euclides perder as estribeiras foi a intolerância dele à visão política do aluno.

A APEOC também pleiteia uma reunião com o secretário de educação, Rogers Mendes, para garantir a tranquilidade e a autonomia das escolas para mediar conflitos como o caso do professor Euclides.

Tudo muito lindo no discurso da APEOC divulgado em seu site, mas o fato que é essa conversa pra boi dormir não cola mais. O que está claro para a população é que a APEOC está defendendo o direito do professor continuar doutrinando e agredindo moralmente os alunos que ousam pensar fora da caixinha. Em vídeo a APEOC desonestamente classifica o movimento escola sem partido como eleitoreiro e partidário, sendo que o movimento é contra a pregação de ideologias e retóricas partidárias nas escolas. APEOC é uma lástima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: