Entenda o debate sobre gravar a proclamação do Hino Nacional nas escolas

O ministro, Ricardo Vélez Rodríguez, através do Ministério da Educação enviou uma carta por email para as escolas de todo o país, solicitando que alunos, professores e funcionários fossem colocados para cantar o Hino Nacional em frente à bandeira do Brasil, além do que, pediu também que o momento fosse filmado e enviado ao governo.

Na carta está escrito: Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!” Para Vélez a medida visa saudar “O Brasil dos novos tempos.”

Junto a isso, a carta pede para que antes da proclamação do hino a mensagem encontrada no documento seja lida, gerando revolta em educadores e em uma parte da população, pois isso faria com que fosse citado o slogan de campanha do governo atual e usaria à imagem das crianças e adolescentes para auto promoção do Governo.

Depois de o assunto ter viralizado, o Ministério da Educação, em nota, informou (já que não continha a informação no mesmo) que o documento traz um pedido de “Execução Voluntária“, o qual faz parte da política de incentivo para a valorização de símbolos nacionais.

Vale ressaltar que no Governo Lula foi sancionada a Lei de N° 12 031/2009 em que torna obrigatório à execução do Hino Nacional, uma vez por semana, ou seja, a lei já está em vigor. O que entra em questão no debate, é o ato de gravar ou não.

Educadores afirmam que o mais complicado é pedir que escolas filmem, pois, é ilegal a filmagem sem autorização expressa dos pais ou responsáveis, pois também, o governo atual defende à escola sem partido e com essa atitude se contradiz vários pontos defendidos pelo o Governo.

Em contrapartida, tem quem concorde com o ministro Vélez, quando o assunto é saudar um novo Brasil e incentivar a valorização de símbolos nacionais.

Com tudo isso, o ministro assumiu nesta terça-feira, 26, que errou ao pedir gravações de alunos durante o Hino Nacional, sem autorização dos pais e/ou responsáveis, então, na quarta-feira, 27, o Ministério da Educação fez um novo comunicado informando o cancelamento da medida por conta critérios técnicos e de segurança, alegando que não teria como armazenar todos os vídeos.

(Foto:O Globo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: