Venezuela: 9 de março marcado por protestos e apagão

O dia 9 de março, sábado, foi marcado por vários protestos contra e a favor do regime de Maduro, e por um apagão que já afetava uma boa parte do país desde quinta-feira.

Os protestantes se dividiram entre apoiadores de Juan Guaidó e de Nicolás Maduro, e foram às ruas apesar da queda de energia. A polícia esteve presente no protesto que ocorria contra Maduro neste sábado, 9, e usou spray de pimenta nos manifestantes que gritavam palavras de revolta como “assassinos”.

Guaidó anunciou que fará um tour pelo país e que reunirá seus apoiadores em um protesto maior em Caracas.

Maduro respondeu a afirmação pelo Twitter: “nunca vamos nos entregar”.

A nova queda de energia que atingiu o país teria ocorrido devido a um problema em uma hidrelétrica em Bolívar. Já Maduro afirma que isso foi orquestrado pelos Estados Unidos.

O jornal El País declarou que as quedas de energia nas últimas décadas foram, e são, causadas pelo abandono e corrupção no sistema elétrico e que a “incapacidade do Governo Maduro de construir um sistema termoelétrico alternativo” é a causa dos cortes de energia.

Vários hospitais ficaram sem energia, o que levou alguns pacientes a perderem a vida pelo não funcionamento dos aparelhos e máquinas e os partos que seriam feitos foram cancelados. O metrô não funcionou e havia poucos ônibus circulando.

Deixe uma resposta